Mageia 7 - Análise do site Linux Expres.cz (Tcheco)

Tem alguma noticia importante, divulgação do Mageia através de marketing e publicidade da distro em outros sites sobre a nossa distro mageia reporte nesse tópico.
Como está sendo sua experiência com a distribuição Mageia? E com o Mageia Brasil? Deixe aqui seu relato sobre as dificuldades e sucessos, seu depoimento.

Mageia 7 - Análise do site Linux Expres.cz (Tcheco)

Mensagempor macxi » Sáb Ago 17, 2019 10:02 pm

Olá pessoal,
Gostei da avaliação que o site Linux Expres.cz (Tcheco) fez da Mageia 7, por isso repasso o texto abaixo.
Já coloquei lá na página de notícias Mageia 7 Press.

O Tomáš Pospíšil, autor da avaliação elogiou vários recursos da Mageia - a instalação fácil para iniciantes com o opções para usuários avançados, o "BoasVindas da Mageia", o CCM - e fez um comentário final que eu achei importante e colo abaixo:

    "A Mageia oferece aos usuários uma distribuição sofisticada, refinada e profissional. Isto é suportado pelo Sistema de Controle Mageia , que permite aos usuários gerenciar seus sistemas com facilidade e eficiência, através de um conjunto de programas interconectados, acessíveis a partir de uma interface centralizada. A distribuição parece um SO completo, em vez de uma distribuição que integra diferentes partes de diferentes fontes".
O Tomas destaca o que eu acho muito importante. Ele destaca que a Mageia é uma distro completa. E eu acrescento que a Mageia é uma distro completa e comunitária, e tem uma estrutura de desenvolvimento, repositório e suporte muito grandes. Que eu saiba, há poucas distros completas como a Mageia. O Debian é uma delas, pois é muito bem estruturada e é comunitária e base para centenas de outras distros. As outras distros grandes como Ubuntu, Fedora, OpenSuse tem apoio de empresas.

      Obs.1:
      - A maioria das outras distros são derivadas de uma distro grande, ficando sem autonomia. Seguem o que foi decidido da sua distro da qual são derivadas.
      Ou seja, são rebocadas pelas decisões desenvolvedores das distros grandes.
      - Distros autônomas são poucas, como o Debian, que é comunitário ou o Ubuntu, que é comercial (e que de certa forma tem uma forte ligação com o Debian, pois o Ubuntu é derivado do Debian, mas tem desenvolvedores próprios e política de pacotes própria).
      - Há outras distros que tem apoio de empresas, como a Fedora (que tem suporte da RedHat/IBM), e a OpenSuse (que tem apoio da SuSe/Novell).

O Linux Mint por exemplo, é muito popular, mas é baseada no Ubuntu, inclusive usa o repositório de pacotes do Ubuntu. Veja o que diz o Manual do Linux Mint:

    "O Linux Mint usa os repositórios do Ubuntu (você terá mais informações sobre o que isso
    significa, adiante) e é totalmente compatível com ele. Desta forma, a maior parte dos
    recursos, artigos, tutoriais e programas feitos para o Ubuntu também funcionam para o
    Linux Mint. Se você não conseguir encontrar ajuda sobre um assunto específico, tente
    pesquisar sobre o mesmo assunto para o Ubuntu
    ".

      Obs.2:
      - Não critico o Linux Mint por usar os repositório da Ubuntu e se basear no desenvolvimento do Ubuntu, é inteligente, é trabalho colaborativo, economiza esforços, reduz custos, esse é o espírito do linux. Mas tira autonomia. Em grande parte, quem decide pra onde a distro Mint vai é o Ubuntu.
      - É muito importante quando uma distro consegue ter seu próprio ciclo de desenvolvimento, repositório e suporte, mas isso é muito difícil. Só as grandes distros conseguem, como o Debian, Ubuntu, Fedora/RedHat, OpenSuse/Suse.
      - Eu incluo a Mageia entre estas grandes distros porque a Mageia consegue - superando muitos desafios - ter sua própria estrutura de desenvolvimento, repositório e suporte.

Quando se faz uma avaliação de um lançamento da Mageia é preciso considerar que a Mageia é uma distro completa. Por isso eu gostei deste texto do Tomas da Linux Expres.cz (Tcheco). A Mageia é uma distro completa, nunca dependeu totalmente de outra distro.

      Obs.3:
      - Falo isso relembrando a história: A Mageia é derivada da Mandriva (é um fork da Mandriva), mas teve que se estruturar sozinha, sem ajuda de nenhuma empresa, só com a ajuda da comunidade, de colaboradores e de doadores.
      - A Mageia, após sua criação em 2010, nunca recebeu nenhuma ajuda da Mandriva e nunca compartilhou nenhum repositório com a Mandriva depois da sua criação. Ao contrário, em 2011 a Mandriva fez questão de trocar o seu sistema de pacotes do repositório de software de RPM4 para o RPM5, que é um derivado (fork) do RPM4 usado pela Mageia (o RPM4 também é usado pela RedHat/Fedora, SuSe/OpenSuse e PCLinuxOS). Essa decisão da Mandriva tornou os pacotes incompatíveis entre as duas distros, o que achei uma pena, pois impediu a colaboração saudável entre as distros e criou um abismo técnico, uma separação.
      Obs.4:
      - A Empresa Mandriva, ao adotar o RPM5 na sua distro, acabou precisando usar a Mageia como base de seu “Mandriva Business Server” (produto de servidor, que oferecia para seus clientes, pois o RPM4 é mais estável, ideal pra servidores. O RPM4 é padrão da RedHat, que é lider de mercado na área de servidores). Como a Mageia é software livre isso é perfeitamente possível, mas mostrou como a Mageia tem estado certa no seu caminho e como foi errada a escolha da Mandriva pelo RPM5. Ou seja, demitiu os empregados e depois, passou a usar a Mageia - reconhecendo a qualidade e a estabilidade da Mageia - e deu o nome de “Mandriva Business Server”, como o único produto RPM4 que a Mandriva tinha a oferecer e seus clientes (ver + aqui) até falir em 2015.
A Mageia tem sido uma distro RPM autônoma desde que foi criada, tem seu próprio repositório e sua política de desenvolvimento e suporte própria e isso é muito difícil. Isso é muito valioso porque dá autonomia para os colaboradores e desenvolvedores e torna a distro mais confiável e previsível. Quem conhece a Mageia sabe que um dos fortes dela é a estabilidade. A Mageia decide seu próprio rumo, não depende de nenhuma outra distro ou empresa. Apesar disso, faz uma importante e positiva parceria (política crossdistro e ver aqui) com outras distros como a Fedora, a OpenSuse, o Debian e o Ubuntu.

A Mageia tem ótimas qualidades, é muito estruturada e profissional. E sim, tem defeitos, como todas as outras tem também. E lida de forma muito transparente com todos esses desafios. Por isso eu sou usuário e colaborador da Mageia desde que foi criada e sempre que posso, falo das qualidades da distro e convido todos a participar dessa comunidade. ;j



Texto completo:


    Linux Expres.cz - Encontro com a Mageia 7 (tradução automática do texto Setkání s Mageia 7) - Segunda-feira, 12 de agosto de 2019 - Tomáš Pospíšil

    Mageia é um descendente direto da extinta distribuição do Mandriva Linux, anteriormente conhecido como Mandrake Linux. Ele mantém e continua a desenvolver ferramentas de sistema usadas por seu antecessor, como o gerenciador de pacotes CLSI urpmi e o Centro de Controle Mageia. Vamos olhar para ela. </ s> </ s> </ s> </ s>

    Faz quase oito anos desde o desaparecimento da versão gratuita do Madriva Linux . Mageia parece ser um verdadeiro descendente de Mandriva e seu predecessor Mandrake. A Mageia ainda integra e mantém as ferramentas desenvolvidas pelo Mandrake Linux, incluindo o gerenciador de pacotes CLI urpmi e o Mageia Control Center, um kit de ferramentas de configuração do sistema.

    Outras distribuições com a mesma origem do ROSA, o OpenMandriva, na verdade baseado no ROSA, parece ter deixado o legado do Mandriva em graus variados. Quando olhamos para o ROSA, descobrimos que o Control Center, chamado de ROSA Control Center, não funciona muito e muitos componentes não são executados separadamente. O OpenMandriva recusou o urpmi apenas em favor do dnf mais interessante, enquanto o Mageia mantém o urpmi como padrão e oferece o dnf como uma alternativa possível.

    O Mageia Control Center e outras ferramentas desenvolvidas pela Mandrake Linux fizeram da Mandriva uma das distribuições mais populares e fáceis de usar do seu tempo. O declínio da popularidade da Mageie de acordo com o ranking do Distrowatch desde sua fundação em 2011 pode ser atribuído à disseminação e popularização de distribuições conhecidas como Ubuntu, Fedora e Debian. Às vezes, com mais de dois anos entre as versões, combinadas com menos desenvolvedores do que as distribuições mais recentes, a Mageia tem a maior parte do software desatualizada. Como o Mageia 7 só foi lançado recentemente, ele deve aceitar o software atual para o futuro próximo.

    Instalando

    As primeiras impressões geralmente são deixadas pelo processo de download e verificação, como é o caso do Magai. Devido ao número e tipo de mídia de instalação que a Mageia tem a oferecer, devido a um recurso de design muito sofisticado do site, o usuário é imediatamente redirecionado para a página que lista somas de verificação ISO, GPG e links de assinatura de cópia e comandos de verificação de integridade anteriores Download e autenticidade do ISO.

    Um ótimo instalador oferece um equilíbrio entre funcionalidade e simplicidade. Mageia é fácil de instalar como um novato inexperiente, bem como um usuário experiente com requisitos individuais. Por exemplo, o instalador permite que você especifique as opções para que as partições fstab sejam montadas no sistema instalado, um recurso disponível apenas no instalador da GUI do YaST para o Arch Linux e o openSUSE.


    Quando a instalação estiver concluída, na primeira vez que você iniciar, você será recebido com o aplicativo Welcome to Mageia . Embora esse tipo de aplicativo, que aumenta o conforto do usuário durante uma nova instalação, seja comum hoje em dia, a Mageia foi uma das primeiras a implementar esse aplicativo (já em 2014). Desde então, o aplicativo de boas-vindas se tornou mais funcional e oferece muitas opções úteis.


    Esta aplicação guia você passo a passo através da introdução de ferramentas de sistema, documentação e recursos de suporte. Também ajuda a configurar armazenamento adicional para componentes de software não-livres. Ele realmente permite que você configure rapidamente seu sistema recém-instalado. No entanto, você pode encontrar um inconveniente desse aplicativo, que pode ser o resultado de sua impaciência quando visitar o sistema pela primeira vez: instalar aplicativos externos diretamente acessando a guia Aplicativos> Bem-vindo à Mageia não é possível sem a permissão de repositórios externos. Bem-vindo ao Mageia é projetado como um guia para seguir na ordem das categorias, em vez de seleção aleatória.

    Tudo sob controle

    O Mageia Control Center é o mais impressionante da Mageia, e o recurso que confere profissionalismo e sofisticação na distribuição. Como o YaST do openSUSE, ele é um conjunto de aplicativos GUI (gráficos) integrados que inclui uma ferramenta de configuração de sistema unificada, adequada para a maioria dos usuários. A janela principal do aplicativo do centro de controle é dividida em categorias: Gerenciamento de Software , Hardware , Rede e Internet , Sistema , Compartilhamento de Rede , Discos Locais , Segurança e Inicialização . Se você selecionar uma dessas categorias e, em seguida, um dos subitens, o componente de gerenciamento do sistema correspondente será aberto na mesma janela. Uma vantagem do centro de controle, que alguns usuários podem achar interessante, é a janela pop-up opcional que exibe um log de operações realizadas ao interagir com o centro de controle.

    Gerenciamento de pacotes

    Destes, você usará com mais freqüência o Gerenciamento de Software , que inclui Instalação e Remoção de Software , Atualização do Sistema , Configurar Frequência de Atualização e Configurar Recursos de Mídia para Instalação e Atualização . A escolha de instalar e remover software abre o componente principal de gerenciamento de pacotes, uma ferramenta semelhante ao Gerenciador de Pacotes Synaptic , ao DNFdragora e ao componente de gerenciamento de software do YaST . As ações de gerenciamento de pacotes são rápidas e, ao contrário do DNFdragor , os pacotes são exibidos sem atraso, navegar pelo programa é intuitivo e eficiente.

    Um dos dois menus suspensos na parte superior da tela permite filtrar os pacotes mostrados por critérios como pacotes GUI , todas as atualizações e backports , enquanto o outro menu suspenso permite filtrar pelo status instalado. O menu Visualizar permite que você escolha o que será exibido no painel esquerdo, com itens de menu incluindo, mas não limitados a: Todos os pacotes por grupo , Todos os pacotes por armazenamento médio , Todos os pacotes por disponibilidade de atualização .

    O gerenciamento de pacotes com o gerenciador de pacotes CLI padrão do urpmi funciona perfeitamente. Na maioria dos casos, ele é projetado para salvar a digitação e os comandos são logicamente denominados-urpm como a raiz do comando e a última letra indicando a função. Por exemplo, urpmi aria2 instala ou atualiza aria2 . Você notará que o acima não inclui explicitamente “instalar” ou “atualizar”.

      Comando - Funcionalidades
      urpmi - Instalar ou atualizar
      urpme - Apagar pacote instalado (desinstalar)
      urpmq - Consulta ao Banco de dados do pacote (pesquisa)
      urpmf - Procure o pacote que contém o arquivo

    Há também instruções compostas que funcionam em repositórios em vez de pacotes, como urpmi.update para atualizar o repositório e urpmi.addmedia para adicionar o repositório.

    O fato de que a Mageia ainda está usando o urpmi como gerenciador de pacotes padrão (e também que o Control Center não foi abandonado) é a razão pela qual você pode optar por instalar o Mageia em vez do ROSA ou o OpenMandriva . No geral, você verá que o gerenciamento de pacotes é muito bom na Mageia. Você ficará surpreso com a robustez dos recursos da GUI .

    Componentes do sistema

    Outros componentes MGC notáveis ​​são componentes do sistema que incluem serviços para visualizar e gerenciar serviços, visualizar e pesquisar logs do sistema, gerenciar usuários e grupos e configurar instantâneos e um componente de segurança . Isso inclui ferramentas de gerenciamento de firewall, autenticação e uma ferramenta de auditoria de segurança que realiza auditorias periódicas do sistema e exibe resultados na área de trabalho. O componente de segurança é uma parte grande e importante do Mageia Control Center, com base no número de ferramentas e opções disponíveis para este componente.

    Centro de rede

    Também é muito interessante que o centro da rede faça parte do grupo de rede e Internet da MGC. Este componente é usado em vez do popular Network Manager, que se tornou o padrão em quase todas as distribuições GNU / Linux para gerenciar conexões de rede. O componente usa a rede do sistema em vez do serviço NetworkManager fornecido pelo NetworkManager.service . O componente também inclui um applet de bandeja do sistema que substitui o applet padrão do Network Manager em ambientes de desktop. Alguns usuários podem não ver o valor dessa ferramenta desenvolvida pela Mageia quando o Network Manager se tornou padrão, mas fornece alguns recursos avançados que não estão disponíveis no Network Manager, como monitoramento de conexão de rede e faturamento.

    Embora seja possível ter o Network Manager instalado e configurar o Network Center para coexistir automaticamente com o Network Manager, ele causa complicações desnecessárias quando o Network Manager é habilitado, como não permitir MGC para iniciar, e problemas ao configurar o hostname para que o host retorne localhost se definido editando / etc / hostname e alterando a ferramenta de gerenciamento de rede.

    Outras características interessantes

      - Além do ambiente disponível no Live ISO, há muitos ambientes de área de trabalho que podem ser instalados, incluindo muitos gerenciadores de janelas leves, até mesmo obscuros.
      - A documentação de uma combinação de um wiki e um sistema de documentação online similar ao que o Fedora e o openSUSE usaram antes de sua atualização recente, embora não tão extensa quanto o Arch Linux, é bom para novos usuários e cobre todos os problemas básicos. Os possíveis problemas que os usuários devem ter conhecimento estão bem documentados no wiki.
      - Ele promete uma alternativa experimental ao Bumblebee para quem tem gráficos híbridos Nvidia / Intel na forma de mageia-prime.

    Algumas palavras no final

      A Mageia oferece aos usuários uma distribuição sofisticada, refinada e profissional. Isto é suportado pelo Sistema de Controle Mageia , que permite aos usuários gerenciar seus sistemas com facilidade e eficiência, através de um conjunto de programas interconectados, acessíveis a partir de uma interface centralizada. A distribuição parece um SO completo, em vez de uma distribuição que integra diferentes partes de diferentes fontes. Uma vez resolvidos os problemas mencionados nesta revisão, a Mageia pode se tornar uma das distribuições Linux mais valiosas.
Avatar do usuário
macxi
Suporte Wiki Mageia Brasil
Suporte Wiki Mageia Brasil
 
Mensagens: 1503
Registrado em: Qua Abr 17, 2013 10:09 pm

Re: Mageia 7 - Análise do site Linux Expres.cz (Tcheco)

Mensagempor caffilhobr » Dom Ago 18, 2019 1:13 pm

Muito boa analise valeu por compartilhar.
Carlos Filho
Avatar do usuário
caffilhobr
Colaborador Senior 3 Mageia
Colaborador Senior 3 Mageia
 
Mensagens: 521
Registrado em: Sáb Out 12, 2013 7:32 pm
Localização: Uberlândia

Re: Mageia 7 - Análise do site Linux Expres.cz (Tcheco)

Mensagempor asghan » Qui Ago 22, 2019 9:22 am

Nossa, o cara realmente fez uma análise. Pegou vários pontos da distro que são fundamentais. Fiquei motivado à instalar.
asghan
Colaborador Intermediario Mageia
Colaborador Intermediario Mageia
 
Mensagens: 86
Registrado em: Qui Jul 18, 2013 1:44 pm

Re: Mageia 7 - Análise do site Linux Expres.cz (Tcheco)

Mensagempor kiko » Qua Set 11, 2019 2:58 pm

Matéria bacana!
Mageia
Avatar do usuário
kiko
colaborador Jr. Mageia
colaborador Jr. Mageia
 
Mensagens: 60
Registrado em: Qua Dez 09, 2015 10:54 am


Voltar para Notícias / Depoimentos sobre a Mageia

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante

cron